pois é…

…eu sinto que algo morre ao meu redor, ou por minha causa, eu sei como salvá-lo, mas não tenho forças para me movimentar. A coragem parece agora um milagre, nada que possa estar presente internamente, a sensação de prostração invade não só o corpo, e até o ambiente está paralisado, porém cada vez menor. Eu ao contrário me sinto em expansão, prestes a explodir, sem controle e sem domínio.

Saber como lidar com os problemas é superestimado demais, saber não nos serve de nada no momento real do desespero, dizer soa vitimização, pedir é impossível, porque realmente só depende de como você encara ou não esse sentir. E saber o que fazer nessa hora é item perecível, dura até certo ponto. Sentir um abraço, um olhar, um sorriso, uma mão em sua direção, talvez sejam as únicas formas capazes de esperança. De tão clichê pode ter sido esquecido, mas de maneira nenhuma deve ser banalizado.

Eu não entendia professorxs que desistiam, hoje entendo profundamente.

Categorias:

1 Comment

DIGA-ME O QUE ACHA:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s