Das hipocrisias

Por Cris Akemi

Vejo um abismo quando seus olhos contam os porquês

Os porquês da aparente alegria

Da indiferente forma

É escuro e frio

Tão escuro que é quase impossível imaginar que um dia já amanheceu

É sujo e me envolve de dor

Vejo um abismo quando suas mãos se estendem a ninguém

Pois tomadas de coisas são imprecisas e indelicadas

Vejo um abismo no caminho em que sigo seus passos

Sei que cairá e não quero lhe salvar

E o abismo que lhe fez vil

Fez de mim algo muito pior

O próprio abismo

Categorias:

DIGA-ME O QUE ACHA:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s