Esperança – Diário de uma educadora pensante

Por Cris Akemi

O primeiro encontro

A preparação e a espera são extenuantes, porque geram aquela ansiedade do desconhecido. Como devo me comportar? O que devo dizer? Falar muito ou pouco? Ser extrovertida? Séria? Será que causarei boa impressão?

Na manhã do dia do encontro pensamos que tudo já está de acordo, conforme o planejado, mesmo assim, horas antes, ainda temos sensações estranhas no estômago. São as “borboletas”, aquelas que insistem em bater asas pra cima e pra baixo dentro da gente, tiram nossa concentração, nos enervam, porque nos esquecemos por alguns instantes de sua beleza exótica colorida.

Entretanto, quando nos damos conta do quanto esse primeiro encontro é importante, como ele determina a qualidade da relação e de que maneira pode nos proporcionar coisas tão boas, passamos a ter mais fé em nós mesmos e seguimos como se tudo já tivesse dado certo.

Estou discorrendo sobre um primeiro encontro de amor, mas não um amor conjugal. Falo daquele que tive com meus alunos. Mas porque fazer essa analogia, correndo o risco de parecer pueril, quando poderia simplesmente contar como foi nosso primeiro dia de aula? Justamente porque não é tão simples como parece ser.

Imaginem um indivíduo prestes a se encontrar com alguém pela primeira vez, para preencher o lugar de parceiro amoroso. Na espera de que após as primeiras impressões encontrará afinidades, e pouco a pouco, caso queira, pois tem a escolha de não fazê-lo, poderá estreitar essa relação passando a ficar um pouco mais de tempo perto dessa pessoa. Até que, quando adquirir confiança, sem pressa, passará a ouvi-la com mais atenção e mutuamente passam a envolver um ao outro a sua vida, crescendo e aprendendo juntos.

Agora imaginem que eu e meus 29 alunos temos que passar por tudo isso em apenas cinco horas! A natureza do amor é diferente, mas a dinâmica é a mesma.

Primeiro é preciso que nos conheçamos entre nós, eles a mim, eu a eles e eles entre eles. É preciso fuçar e fuçar para encontrar as afinidades, não temos escolha, não podemos desistir quando quisermos, portanto é preciso exercitar nossa tolerância diariamente, porque também não podemos escolher passar menos tempo um com o outro, caso nos irritemos. Depois vem a fase da confiança, só aprendemos uns com os outros se confiamos uns nos outros.

Tudo isso exige amor, seja pela profissão, seja por crianças e seu olhar ainda fresco, seja pelo conhecimento, o educador tem de amar todo o processo, pois do contrário não conquista seus alunos, não lhes provoca admiração, e quem não é admirado, para o bem ou para o mal, não é compreendido.

Meu primeiro encontro este ano foi um dos melhores que já tive, mais madura, mais feliz, fui ótima companhia e os recebi da maneira exata que gostaria, não fui ansiosa, me diverti, provoquei sorrisos e até movimentação participativa. Haverão outros melhores, espero, algo que só a experiência pode trazer.

A quem acredita que o que escrevo é equivocado ou infeliz, lamento muito, pois tenho a impressão que os educadores que não enxergam dessa maneira nunca alcançarão a plenitude, e menos ainda seus alunos.

No próximo post detalharei as atividades que realizamos e como se desenrolaram!

Categorias: Tags: , , , , , , , , , , ,

2 Comments

  1. Muito singelo e ao mesmo tempo intenso. Delicado em nível da emoção que há nesta relação humana e principalmente neste primeiro contato: professor-alunos! Falo por mim, pois no alto dos meus 35 anos de magistério, ainda me sinto como uma estreante nesse palco fascinante.
    Parabéns, Cris, por registrar esse momento extremamente sublime. Será sempre assim, pois você, humana e sensível como demonstrou em seu texto, tem tudo para ser uma professora maravilhosa.
    Bjs e sucesso.
    Ana Zamaro

    Curtir

    1. Agradeço muito Ana, por hoje é sempre. Por estar me colocando pra cima, as vezes sem perceber como é importante pra mim no momento. Companheiras como você é que me motivam a caminhar de cabeça erguida e com sorriso no coração! Portanto estou com sorte!!!!!!

      Curtir

DIGA-ME O QUE ACHA:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s