Livro do dia

Já faz um tempo que eu escolhi esse livro para meus alunos de segundo ano. Primeiro porque o ursinho rosa é verdadeiramente fofo, depois achei tão interessante a questão da empatia, da solidariedade. Mas acabei mesmo focando numa questão que considero bem importante também nessa idade que é a inferência e a compreensão de lógica, bem como o raciocínio dedutivo .

Ao longo da história fui perguntando a eles de que maneira o problema poderia ser solucionado e porque será que os animais todos não conseguiam presumir tal resolução. Qual não foi minha surpresa quando eles conseguiram no meio do livro concluir toda a lógica da história. Eles ficaram felizes com o feito e eu mais ainda.

 

Anúncios

Trecho de “A Rosa branca” de Inge Scholl – livro que conta a história de um grupo de estudantes que tiveram a coragem e a sabedoria de escrever planfletos contra o regime nazista.

E quantos flautistas de Hamelin não temos hoje que não estão tão famosos feito Hitler mas igualmente danosos à humanidade, é preciso reconhecê-los no início, é preciso preparar nossas crianças para que tenham discernimento e saibam se defender disso. E é preciso muito amor!

DESAFIO MATEMÁTICO DIVISÃO

 O trabalho em equipe é uma excelente estratégia de aprendizagem garantida, em diferentes áreas do conhecimento. Na primeira semana de aula a interação é extremamente importante pois as relações que se constroem são cruciais para o andamento do restante do ano.
  A organização dos alunos em agrupamentos iguais é uma oportunidade não apenas de estimular essa interação mas de na prática mostrar as crianças o conceito da divisão.
  Nessa atividade eles receberam o desafio de descobrirem se em 24 alunos fossem formados 6 grupos, quantos alunos ficariam em cada um?!
  Aos poucos, uns mais outros menos foram se virando para encontrar a solução.
  Quando conseguiram os lembrei de que um aluno faltara, e o novo desafio era descobrir como faríamos para ter grupos iguais caso ele estivesse lá.
  Um aluno prontamente respondeu que deveríamos fazer cinco grupos de cinco alunos. Então aproveitei para demonstrar o conceito desenhado na lousa, oferecendo uma outra estratégia para o raciocínio deles.
VEJA COMO FOI:

Continuar lendo

História do dia

Livro do dia

O quanto é importante deixar que nosso mundo seja colorido pelo mundo do outro.

Livro do dia

As crianças precisam saber que um pouquinho de coragem e gentileza além de não fazerem mal podem provocar revoluções em nossas vidas!

Ser criança não é fácil!

Fiquei com a frase que me disseram  esses últimos dias com relação a acontecimentos um tanto quanto estarrecedores: “Era mais fácil quando eu era criança”.

No momento eu não concordei mas não sabia elaborar exatamente porque, só respondi que ser adulto parece ser melhor pois decidimos nosso próprio destino, então repensei, observei mais, pensei de novo e dentro dessa lógica cheguei a conclusão de que:

Número um: talvez nem todos se lembrem dos sentimentos assustadores da tenra infância;

Número  dois: nós tendemos a achar que todo momento presente é pior do que os outros, especialmente num apego exacerbado ao passado;

Número três: não estamos preparados e quase sempre não queremos estar, e ao invés de buscarmos sabedoria preferimos a ignorância similar à de uma criança.

Isso posto, refleti sobre como essa suposta benção em forma de ignorância na infância é tão prejudicial para o desenvolvimento do ser como um todo, e talvez essa também seja a causa de não estarmos preparados para lidar com determinadas situações.

Ao analisar alunos e filhos de amigos, uma boa parte já é sobrecarregada com obrigações que não conseguem cumprir.

Para preservar a “inocência”, familiares, professores e afins ao invés de incentivarem autonomia, responsabilidade real e consciência das próprias atitudes e da vida, passam a mascarar tudo isso, que é difícil mesmo,  assumindo eles, os adultos, as obrigações impostas às crianças.

Exemplo 1: se o material escolar é mais pesado do que um aluno consegue suportar, talvez seja a hora de repensar o conteúdo desse material e não resolver o problema carregando sua mochila.

Exemplo 2: se as atividades da escola para casa são impossíveis de serem feitas com autonomia ou em tempo hábil, certamente não é fazendo a lição pela criança que se resolve o problema.

Exemplo 3: na infância sempre haverá momentos de dúvidas ou pura curiosidade e muitas crianças acabam sendo ignoradas ou tratadas com condescendência ao quererem saber de algo. Isso geralmente acontece porque o adulto acha complicado demais para a idade delas ou não consegue articular assuntos tabu como sexo e morte apregoando que um dia entenderão, aprenderão. Pois ninguém entende ou aprende nada que não lhe for ensinado e não raro passam pela vida sem compreender aspectos importantes pois na infância lhes foi negado o direito de aprender a lidar com eles.

Fato é que não saber das coisas não impede que soframos com elas, estar preparado é imensamente mais fácil, conhecer, vivenciar, compartilhar é o que diminui nossa sensação de desamparo e insegurança.

Dialogar com uma criança é o maior presente que podemos dar a ela!